dez 072013
 

Mais uma vez os carcinicultores e a “justiça” ataca xs moradores do Cumbe. Os companheiros criminalizados estão sofrendo pelas suas ações exemplares em favor da terra, do mangue e da comunidade. Nós da ORL tínhamos lançado em setembro uma “Nota de Solidariedade aos Lutadores e Lutadoras do Cumbe” tentando amplificar a luta de nossxs companheirxs (que pode ser lida em http://www.resistencialibertaria.org/index.php?option=com_content&view=article&id=106:cumbe-nota&catid=88:lutas&Itemid=64).

Reproduzimos abaixo uma NOTA URGENTE em apoio ao Cumbe com o objetivo de arrecadar fundos para um auxílio jurídico que nesse momento é indispensável para tentar frear a criminalização com nossos companheiros e companheiras de luta.

TODO APOIO AS LUTADORAS E LUTADORES DO CUMBE, EXEMPLOS DE LUTA!

 

Apoio e Solidariedade aos Pescadores/as do Mangue do Cumbe.

Cumbe, 05 de Dezembro de 2013.

Prezados/as, como deve ser de conhecimento de todos/as, os pescadores/as do mangue do Cumbe/Aracati, desde 1996 vem travando diariamente uma luta pela defesa do manguezal, campo de dunas e modo de vida tradicional. Nos últimos anos, o enfrentamento aos projetos de desenvolvimento econômico, como a carcinicultura no manguezal e a instalação dos parques de energia eólica nas dunas, vem se acirrando e com isso o aumento dos conflitos socioambientais pela posse do território coletivo, além da criminalização das lideranças que se opõem a este atual modelo de crescimento econômico.

Hoje na comunidade, temos 08 (oito) pescadores do mangue sendo criminalizados e processados pelo carcinicultor RUBENS DOS SANTOS GOMES, por defender suas áreas de pesca e o manguezal contra a expansão da criação de camarão em cativeiro – carcinicultura, que viola direitos. Um dos pescadores já foi até julgado e condenado a pagar cesta básica.

Diante desta conjuntura, em reunião com representantes dos pescadores/as, resolvemos em face de um processo desigual, procurar uma assessória jurídica permanente, para fazer o acompanhamento dos pescadores/as junto aos órgãos de justiça. Para que mais pessoas não sejam criminalizadas e tenham que pagar outras cestas básicas ou outras penalidades, por defender seu território.

Conversamos com um advogado popular para que este possa fazer esse acompanhamento, até sanar esse conflito entre os pescadores/as do mangue e o carcinicultor. O referido advogado propôs a importância mensal de R$ 1.200,00 (mil e duzentos reais) até resolver esse conflito junto à justiça. Sendo que o primeiro pagamento se dará neste mês.

Assim, estamos através desta carta solicitando o apoio dos amigos/as do Cumbe, pesquisadores/as e demais interessados para se somar a nós e contribuir na medida do possível, para cobrir a despesa com a assessoria proposta, para que possamos nos defender dignamente. As contribuições deverão ser realizadas no Banco: Caixa Econômica Federal, Agência: 0743; Conta Poupança – 013.00094542-2, Titular: João Luís Joventino do Nascimento.

Segue abaixo o nome dos pescadores criminalizados: Ronaldo Gonzaga, Neuzimar Rodrigues, Edivan Florêncio, Josimar Silva, Raimundo Florêncio, Carlos Gonzaga, Paulo César Gonzaga e João Paulo Gonzaga.

Agradecemos a todos/as que puderem contribuir com nossa luta.

Atenciosamente,

Pescadores/as do mangue do Cumbe/Aracati.

 

dez 032013
 

No último dia 14 de novembro a Organização Resistência Libertária [ORL/CAB] comemorou seus 5 anos de luta. Na ocasião tivemos uma mesa-debate pública chamada “O Anarquismo e suas contribuições para os Movimentos Sociais”, ao lado de organizações políticas irmãs do Nordeste e Norte desse país. Reproduzimos abaixo as saudações que nos foram enviadas pelas Organizações da Coordenação Anarquista Brasileira [CAB] e que não puderam estar presentes. Pedimos desculpas por não reproduzir aqui algumas saudações pronunciadas por Organizações irmãs e indivíduos na ocasião no evento – só não estamos fazendo pela falta do registro escrito, já que não gravamos a fala.*

 


 

Saudação do Coletivo Anarquista Zumbi dos Palmares [CAZP-Alagoas]

Sementes foram e continuam sendo plantadas por estes lados, hoje, do solo nordestino, podem ser colhidos os frutos da luta pelo Socialismo Libertário. Esta luta não é simples, nem tampouco de curta duração. Para tal é necessário vontade histórica, determinação enquanto lutadoras e lutadores organizados, além de inflexibilidade quanto aos nossos princípios.

Nós, do Coletivo Anarquista Zumbi dos Palmares, certos estamos que o dito cima é aceito e compartilhado com as companheiras e companheiros da Organização Resistência Libertária, que, com retidão ética, muita generosidade ao ensinar e muita vontade em aprender, tem estimulado o diálogo e a participação – dos indivíduos e organizações mais próximas aos indivíduos e organizações mais distantes -; dando uma contribuição imensurável à nossa ideologia anarquista e, especialmente, à nossa estratégia especifista.

Desde a terra de Palmares, saudamos, portanto, a Organização Resistência Libertária neste seu quinto aniversário, motivados não apenas pela alegria desta comemoração – embora esta não seja pouca – mas também, a partir da compreensão de que nossa luta é um processo contínuo, desejamos que cada aniversário seja revertido em ânimo para seguirmos juntos nessa caminhada.

Coletivo Anarquista Zumbi dos Palmares

 

Alagoas – Novembro de 2013

 

Saudação do Coletivo Anarquista Luta de Classes [CALC-Curitiba]

 

Curitiba, 13 de novembro de 2013.

Saúde aos 5 anos de luta e resistência da ORL!

Salve companheiros e companheiras da Organização Resistência Libertária!

É com muita alegria que nós, do Coletivo Anarquista Luta de Classes, os saudamos pelos árduos, mas construtivos, 5 anos de luta e resistência anarquista no Ceará. Por mais que a distância que nos separe seja grande, a nossa proximidade política à suprime. Temos em mente que nosso objetivo é o mesmo: superar o capital e acabar com toda forma de dominação. Esperamos sinceramente que o anarquismo social no Brasil continue à se fortalecer e isso não pode ser construído sem a solidariedade entre as organizações e companheiros/as anarquistas organizados. Sabendo que os/as companheiros/as da ORL acreditam e colocam em prática os princípios que são tão caros à nós, anarquistas organizados, tal como afirmam em sua carta de apresentação:

uma organização específica de anarquistas, resultante da livre vontade de indivíduos de unir e coordenar seus esforços de forma horizontal e autônoma, pautados na liberdade e na responsabilidade individual e coletiva, no apoio mútuo e na democracia direta, com a disposição de militar socialmente, visando contribuir para a construção de experiências de organização e de lutas sociais com perspectiva anti-capitalista

Isto por si só, e a consciência de que os/as companheiros/as colocam tais princípios em prática, já nos basta à ser totalmente solidários e à desejar estar junto em nossas lutas. Acreditamos, assim como a ORL, que este sistema de dominação e exploração não é sustentável, e utópico é quem não aceita o fim inevitável deste sistema.

Por fim, sabemos que estamos juntos hoje e esperamos que nossa unidade tenha vida longa, assim como a ORL! Que venham mais 5, 10, 15 anos!

Saúde à ORL!

Viva a CAB!

Viva o anarquismo organizado!

Coletivo Anarquista Luta de Classes CALC-CAB

 

Saudação da Federação Anarquista Gaúcha [FAG-Rio Grande do Sul]

ADESÃO FAG AOS 5 ANOS ORL

Nós da Federação Anarquista Gaúcha queremos saudar a ORL pelo seu aniversário de 5 anos e mandar a toda sua militância um caloroso abraço!

Para nós é significativo que 3 organizações que integram a CAB estejam de Aniversário em datas próximas (nós, vocês e a FARJ). Acreditamos, dessa forma, que é um momento importante de reafirmarmos nossa convicção e firmeza ideológica e nosso pertencimento a essa fraternidade libertária que é a CAB e que tem muito ainda a contribuir com a organização e luta das classes oprimidas.

Vivenciamos uma conjuntura importante nesse ano que passou, aprendemos muito e acredito que ainda temos muito a aprender, coletiva e organizadamente é claro. O ano que se aproxima, ano de Copa e de Eleições, nos parece ser um ano de recrudescimento da repressão, do aprofundamento das medidas de cerceamento das liberdades legais… Não podemos dizer que estamos às portas de uma ditadura. Trata-se de mecanismos que a democracia burguesa tem utilizado quando aumenta a indignação e a luta popular. Mas podemos dizer que o ano de 2013 foi um marco e tem nos indicado que entraremos em um novo período da luta de classes. Necessitamos ajustar nossas lentes e estar em dia com a análise da conjuntura para melhor nos situarmos politicamente. Acreditamos que é um bom momento para intensificarmos a propaganda Anarquista e consolidarmos o Anarquismo como uma referência que já é para muitos, mas que pode ser para muitos mais.

E vamos adiante companheirada!

Um forte abraço desde o Rio Grande do Sul, desde a militância da FAG e Não tá morto quem peleia!

Viva a ORL, Viva a Anarquia!!!

 

Saudação do Coletivo Anarquista Bandeira Negra [CABN-Santa Catarina]

SAUDAÇÃO À ORGANIZAÇÃO RESISTÊNCIA LIBERTÁRIA

Companheiras e companheiros,

O Coletivo Anarquista Bandeira Negra, de Santa Catarina, escreve esta saudação referente aos cinco anos de existência da Organização Resistência Libertária, de Fortaleza, Ceará.

Apesar da longa estrada que nos separa geograficamente, nos sentimos próximos por conta do trabalho incessante de construção do anarquismo com laços efetivamente solidários, classistas e inseridos nas lutas pela transformação social da realidade perversa que o capitalismo neodesenvolvimentista impõe ao povo sofrido das diferentes regiões do Brasil. Que por toda parte sigamos avançando juntos/as, ombro a ombro, na luta dos/as de baixo, criando o poder popular!

Desejamos às nossas irmãs e irmãos de classe e de ideologia muita força e rebeldia para as lutas e desafios que virão pela frente!

Lutar hoje e sempre!

Pelo Socialismo Libertário!

Vida longa à Organização Resistência Libertária!

 

Coletivo Anarquista Bandeira Negra

Santa Catarina, 13 de novembro de 2013.

 

Saudação da Federação Anarquista do Rio de Janeiro [FARJ-Rio de Janeiro]

Saudamos os compas da ORL pela coerência, perseverança e compromisso ético para lutar pelo socialismo e a liberdade. Nós consideramos Organização Irmã, com os desafios e punhos cerrados do anarquismo levantados em diferentes regiões do país.

José Oiticica vive exemplo de luta da ORL!

Viva o Anarquismo!

Viva a CAB!

Vida longa a ORL, até a batalha final!

Federação Anarquista do Rio de Janeiro

14 de novembro de 2013

 

Saudação da Organização Anarquista Socialismo Libertário [OASL-São Paulo]

Saudação da OASL aos 5 anos da ORL

Companheiras e companheiros da ORL,

Já se vão 5 anos daquele 2008, quando o anarquismo se rearticulava no Ceará e se fundava a Organização Resistência Libertária! Parece que foi ontem aquele debate cheio de pessoas interessadas e muito frutífero, realizado no momento de fundação da organização.

Como sabemos, esse esforço custou muito esforço e dedicação da militância. É sempre difícil organizar algo localmente quando não há uma geração precedente de militantes ou mesmo uma tradição recente de anarquismo. E vocês tiveram o mérito de, partindo de relações estabelecidas com outros estados, construir um processo sólido em Fortaleza, que vem estabelecendo raízes junto ao povo cearense. Avançaram nas discussões, fortaleceram o trabalho de base e a propaganda.

Fortaleza possui um caminho com o qual nos identificamos. Temos uma trajetória com alguma similaridade, pois, mesmo encontrando na FARJ certo referencial, tivemos de nos desenvolver localmente; tivemos de aprender a caminhar caminhando.

Sem dúvidas, desde sua fundação, a ORL tem construído trabalhos sólidos e aprofundado suas linhas ideológica e estratégica, dando continuidade a uma proposta coerente aos objetivos do anarquismo especifista.

Hoje, a ORL é uma organização chave da CAB, espaço que ajudou a conformar em 2012. Estamos orgulhosos que vocês estejam fortalecendo o anarquismo no nordeste e esperamos que esse esforço possa continuar nos próximos anos, com a mesma motivação que tem caracterizado esses cinco anos de luta.

Arriba l@s que luchan!

Lutar, criar, poder popular!

Organização Anarquista Socialismo Libertário – OASL

São Paulo, novembro de 2013

 

* Os seguintes grupos e individualidades também fizeram saudações à comemoração dos 5 anos da ORL: Coletivo Libertário Delmirense [COLIDE], Núcleo Anarquista Resistência Cabana [NARC], Coletivo Anarquista Ademir Fernando [CAAF], Carlão (Anti-quiprocó), Adelaide Gonçalves (UFC), José Ribamar (Professor da Rede Pública Estadual), Patrícia Ximenes (Psicóloga).

 

dez 012013
 

 

Saudação da Organização Resistência Libertária ao Ato de Fundação do

Núcleo Anarquista Resistência Cabana – NARC (Belém/PA)

 

Desde o Ceará,

A Organização Resistência Libertária saúda neste instante a Fundação do Núcleo Anarquista Resistência Cabana [NARC]. Nos últimos meses o nosso contato tem se fortalecido enormemente. A aliança Belém-Fortaleza, apesar de seu início repentino, dá mostras de qualidade e de dinamismo.

Recentemente, a presença dos vossos companheiros no IV Encontro do Anarquismo Especifista do Norte e Nordeste foi de justa sintonia com nosso debate. Foi essencial para compartilhar nossas concepções teóricas e nossa atuação social, mostrando que somos irmãos e irmãs de ideal.

É importante ainda ressaltar, que as irmãs e irmãos do NARC fazem parte do reavivar da luta anarquista em Belém, mas que se somam a construção e fortalecimento do Anarquismo Brasileiro, aliado há várias organizações irmãs unidas pela Coordenação Anarquista Brasileira. Estamos cientes que vocês, serão a partir de agora nosso espírito em Belém. Que a ética e confiança fortifiquem nossas relações, assim como tem marcado nossa prática política ombro a ombro com nosso povo.

 

VIVA AO NARC!

VIVA O FORTALECIMENTO DO ANARQUISMO BRASILEIRO!

VIVA A ANARQUIA!

 

Organização Resistência Libertária [ORL/CAB]

Fortaleza, 30 de novembro de 2013

 

nov 062013
 

A Coordenação Anarquista Brasileira [CAB] convida para a comemoração dos “5 Anos da Organização Resistência Libertária” e para a mesa-debate “O Anarquismo e sua contribuição para os Movimentos Sociais” com nossas Organizações no Nordeste. No debate estarão presentes além de Organizações Políticas da CAB, outras Organizações Especifistas do Nordeste e Norte do país, bem como inúmerxs libertárixs de Fortaleza e militantes dos Movimentos Sociais.

Debatedores:
Organização Resistência Libertária – ORL/CE
Coletivo Anarquista Zumbi dos Palmares – CAZP/AL
Coletivo Libertário Delmirense – COLIDE/AL
Coletivo Anarquista Núcleo Negro – NN/ PE

Convidados:
Coletivo Anarquista Ademir Fernando – CAAF/BA
Núcleo Anarquista Resistência Cabana – NARC/PA

É fortalecer o Anarquismo no Brasil!

Crescer nossa Bandeira!

nov 042013
 

No último dia 31 de outubro, nossas irmãs e irmãos do Paraná completaram 3 anos organizadxs pelo Coletivo Anarquista Luta de Classes (CALC/CAB). Abaixo publicamos a nota comemorativa dos 3 Anos da Organização.

Vivas ao CALC!

Vivas a CAB!

CALC: 3 ANOS DE LUTA POR SOCIALISMO E LIBERDADE!

Ontem, dia 31 de outubro, fez três anos do lançamento público do CALC (Coletivo Anarquista Luta de Classe). No dia 31 de outubro de 2010 lançávamos a carta de apresentação do CALC, veja aqui http://coletivoanarquistalutadeclasse.wordpress.com/2010/10/.

Desde o ano de 2008 vinhamos nos organizando para a revenda de materiais anarquistas na cidade de Curitiba. Todavia, vinhamos, internamente, debatendo a necessidade de organizar a incipiente militância do anarquismo que surgia nos movimentos sociais de Curitiba (em especial naquele momento no movimento estudantil e luta por moradia). Em 2010 afinados com a proposta do especifismo, apresentamos a militância local, nossa modesta proposta de organização. É sempre oportuno lembrar o apoio que recebemos das organizações que no momento compunham o FAO (Fórum do Anarquismo Organizado) e atualmente compõem a CAB (Coordenação Anarquista Brasileira), demonstrando na prática que a solidariedade é mais que “palavra dita”,  o apoio dos compas do então FAO, em especial da FARJ e FAG foram fundamentais para a consolidação da proposta orgânica do CALC.

Assim, publicamente, naquele 31 de outubro de 2010, firmávamos o que  objetivamos com nossa proposta: “(…)buscamos um retorno organizado às lutas sociais, esperando que outros companheiros e companheiras da cidade de Curitiba e do Paraná venham se juntar a nós. Assim, acreditamos que será possível retomarmos o caráter social e classista que o anarquismo sempre portou, pois se continuarmos desorganizados ideologicamente não constituiremos uma força política capaz de intervir na dinâmica das lutas sociais, o que só interessa aos nossos adversários e inimigos de classe.”

Podemos afirmar que inserimos o anarquismo organizado ao menos em parte das lutas sociais, desenvolvendo uma linha coletiva para atuação dos anarquistas, e de algum modo propiciando um veículo para o retorno dos anarquistas as lutas. Em nossos lugares de estudo, nos locais onde realizamos nossos trabalhos sociais comunitários e mesmo em alguns locais de trabalho temos organizado nosso, ainda pequeno, mas firme punho. Podemos afirmar que temos criado uma referência do anarquismo organizado nas lutas sociais de Curitiba, a exemplo da luta pelo transporte que tomou as ruas do país.

Sabemos que a muito a ser feito, mas parte do essencial temos a convicção que realizamos cotidianamente na medida em que nos mantemos organizados e ativos em meio as lutas do povo.

Esperamos que o nosso CALC possa durar o tempo necessário para que participemos da luta pela emancipação do povo explorado e assim derrotar o capital.

Em breve postaremos aqui no blog um texto fazendo um balanço destes três anos de existência do CALC.

Viva o CALC!

Viva a CAB!

Lutar, criar, Poder Popular!!!

CALC 01 de Outubro de 2013.

jun 182012
 

 

Nos dias 8, 9 e 10 de junho de 2012, realizou-se no Rio de Janeiro o Congresso da Coordenação Anarquista Brasileira (CONCAB), reunindo no Rio de Janeiro as delegações das nove organizações que compõem a CAB, outros grupos e individualidades do país e organizações internacionais.

Em três dias intensos de atividades, o I CONCAB discutiu e formalizou as adesões das novas organizações, realizou discussões de conjuntura e programa mínimo e realizou um debate e um ato público. Esse evento marca uma mudança de organicidade do antigo Fórum do Anarquismo Organizado (FAO) que, com a CAB, marca mais um passo na construção de uma organização anarquista nacional de matriz especifista.

Veja a produção congressual da Coordenação Anarquista Brasileira e as contribuições das organizações para o I CONCAB:

 

Continue reading »

abr 262012
 

“Eles não querem só minha morte. Eles querem o meu silêncio”:

MUMIA ABU-JAMAL, UMA HISTÓRIA DE RESISTÊNCIA E LUTA PELA LIBERTAÇÃO


“Eles levaram embora tudo o que você tem/E o que restou, eles ainda não podem dobrar/Fazê-lo culpado foi o trajeto deles […]/Trinta anos se passaram/No corredor da morte, nós nunca soubemos/Nada sobre o peso/Que você teve de carregar enquanto cresceu.”*

Mumia Abu-Jamal (pseudônimo de Wesley Cook) é um jornalista radical afro-americano e ex-integrante dos Panteras Negras, movimento anti-racista atuante nos Estados Unidos nas décadas de 1960 e 70. Mumia, como é amplamente conhecido no mundo inteiro, se destacou nos EUA pela sua atuação como militante negro anti-racista, denunciando as crueldades que sofrem os negros (em particular) e as pessoas mais pobres sob o capitalismo. Tornou-se jornalista na Filadélfia e ficou popular com o seu programa de rádio “A voz dos sem-voz”, fazendo um tipo de jornalismo radical, crítico e de denúncia da violência policial – particularmente as de natureza racista – e os dramas diários da população pobre dos Estados Unidos. Pela sua militância, iniciada aos 14 anos de idade, Mumia foi várias vezes perseguido e ameaçado por policiais, autoridades locais e pelos poderosos.

Continue reading »

abr 262012
 

 

[Brasil] Em Fortaleza (Ceará), manifestantes exigem libertação de Mumia Abu-Jamal

Ocorreu em Fortaleza, pela manhã e tarde de ontem (24), um ato público pela libertação do jornalista radical afro-americano Mumia Abu-Jamal. Pela manhã a intervenção aconteceu próximo ao Centro da cidade, em frente ao Instituto Brasil Estados Unidos (IBEU), local reconhecido pelo governo americano como promotor da cultura dos EUA no Ceará.

No decorrer da manifestação foi realizada uma oficina de confecção de cartazes, que foram fixados nos muros do IBEU e em frente ao local, onde os manifestantes ficaram por algumas horas em vigília. Algumas das frases contidas nos cartazes dos manifestantes e entoadas como palavras de ordem: “Libertar Abu-Jamal e destruir o capital!”, “Milhões por Mumia!”, “Abolição da pena de morte!”, “Free Mumia”, “Pela libertação de todos os presos políticos!”. No mesmo local, os manifestantes distribuíram panfletos para os passantes, com um texto denunciando as injustiças no processo de Mumia e contando sua história de mais de trinta anos de luta e resistência. Foram apresentadas músicas em homenagem a Jamal, em voz e violão.

Pela tarde, os manifestantes se dirigiram em caminhada até a Agência Consular Americana em Fortaleza, há alguns quilômetros do IBEU, a fim de entregar uma carta denúncia à Agente Consular norte-americana responsável, mas ela não se encontrava no local.

A carta conta com assinatura de movimentos, organizações e grupos, e pede a libertação imediata de Mumia, abolição da pena de morte e fim do encarceramento em massa.

Esta manifestação ocorreu no dia do aniversário de 58 anos de Mumia Abu-Jamal, e faz parte da campanha mundial de solidariedade e pela sua libertação.

 

Henrique Buenaventura Raskólnikov

 

abr 172012
 

 

CARTA DE SAUDAÇÃO PELA COMEMORAÇÃO DOS 10 ANOS DE HISTÓRIA E LUTA DO COLETIVO ANARQUISTA ZUMBI DOS PALMARES (CAZP) – ALAGOAS

Nos próximos dias 13 e 14 de abril o Coletivo Anarquista Zumbi dos Palmares (CAZP) comemora dez anos de história! Para nós da Organização Resistência Libertária (ORL) isso é motivo de muita alegria e comemoração. É um momento de afirmação da memória de luta construída por uma organização irmã, que compartilha conosco uma militância libertária há alguns anos, mantendo relações de solidariedade e troca de experiências militantes. Saber que uma organização anarquista próxima a nossa, no campo do pensamento e da ação, está completando uma década de história é algo que nos dá muita força para seguirmos em frente; anima-nos a continuar nossa caminhada de luta rumo aos socialismo libertário, empunhando nossa bandeira vermelha e negra.

Não são dez anos apenas de simples existência. Sabemos que são dez anos de uma existência marcada por muita luta, por muita militância, no terreno das lutas sociais de nosso tempo, em meios aos movimentos sociais e populares. Compartilhamos com o CAZP a atuação militante em uma região mais ao norte do Brasil, denominada como “Nordeste”, onde temos especificidades históricas e um contexto social com características distintas de outras regiões, o que marca certas diferenças em relação a outras partes do Brasil. Por esse motivo, temos uma afinidade específica com o CAZP, além de nossa proximidade ideológica. Não significa que esse tipo de proximidade implica um isolamento das organizações anarquistas de certas regiões em relação às organizações em outras partes. Significa sim o reconhecimento de especificidades de lutas regionais e locais, o que merece um olhar diferenciado e uma análise e atuação também diferenciadas. É preciso que fortaleçamos os laços entre os grupos numa escala local, regional, e também nacional, se quisermos melhor entender os desafios das lutas sociais atuais e se quisermos desenvolver uma militância mais próxima da realidade em que vivemos. O diálogo entre nossas organizações tem se estreitado bastante nos últimos anos, fato este, que sem dúvida, propiciou e está prociando um debate teórico e estratégico em nossa região. Junto aos compas de Pernambuco e do sertão alagoano seguiremos firme no avanço de nossa ideologia, reafirmando o Especifismo em nosso meio e em auxílio a novas organizações. É fazer avançar a construção da Cordenação Nacional no norte desse país, e estamos firmementes empenhados e ao lado de vossa militância.

Ao longo desses anos o CAZP tem construído sua história de luta e resistência ao lado dos oprimidos e explorados em seu local de atuação, especialmente em Alagoas, evocando em seu nome a memória de Zumbi dos Palmares, personagem símbolo da luta contra a escravidão negra, que faz parte de um importante capítulo da história do Brasil. A história de luta do CAZP deve ser reconhecida por todos nós que acompanhamos sua trajetória desde alguns anos. Mas também é algo a ser reconhecido para além do campo do anarquismo, em meios às organizações populares, especialmente aquelas com as quais o CAZP tem caminhando mais de perto. Esse reconhecimento se deve a dedicação militante, a perseverança e o compromisso, em meio a tantas dificuldades que sabemos passarem todos e todas que lutam por um mundo novo, livre da exploração e da dominação, livre do capitalismo e do estado.

Saudamos os dez anos do CAZP com entusiasmo! Se for necessário, que venham mais dez anos de luta companheiros! Que venha o tempo que for necessário para destruirmos essa sociedade de miséria, prisão e sofrimento, para construirmos um mundo novo, baseado na solidariedade, igualdade e liberdade.

Viva o CAZP!

Viva o Anarquismo Organizado!

Pelo Socialismo Libertário!

Organização Resistência Libertária [ORL]

Fortaleza – Ceará/Brasil, 13 de Abril de 2012

 

abr 092012
 

FORTALECER REGIONALMENTE O ANARQUISMO

DECLARAÇÃO DO II ENCONTRO DO ANARQUISMO ESPECIFISTA DO NORDESTE

Está dado mais um passo no avanço do Anarquismo Especifista no Nordeste do Brasil. Reunidos em Recife, nos empenhamos em aprofundar o debate sobre o especifismo e estruturação dos agrupamentos políticos em nossa região, com vistas ao nosso fortalecimento e consolidação.

Compreendemos que o especifismo está para além de um simples modelo organizativo e significa também o início de uma construção teórica própria dentro do anarquismo. Mesmo que hoje ainda não exista em nosso interior uma teoria comum, já possuímos uma prática política próxima, a qual certamente terá influencia em nosso desenvolvimento teórico unitário.

Dialogamos com clássicos, a exemplo de Bakunin e Malatesta, bem como com a experiência mais recente desenvolvida pelos camaradas da Federação Anarquista Uruguaia (FAU) desde a década de 1950. E, assim, procuramos avançar em construir elementos para nossas formulações próprias em termos teóricos e organizativos a fim de aperfeiçoar nossa prática política e fincar as raízes de nossa ideologia.

Neste desafio, destacamos a importância da minoria ativa como princípio do especifismo. Ou seja, de o anarquismo se articular cada vez mais para fermentar as lutas no seio dos movimentos sociais, visando a construção de posturas mais combativas e horizontais. Em uma expressão: criar um povo forte.

Na luta pela construção do poder popular, assumimos o “poder” enquanto a capacidade de fazer e não a possibilidade de oprimir. É preciso fazer a dissociação entre as noções de “poder” e “domínio”, entendendo domínio como a atitude de usar a força do povo contra ele próprio. Esta concepção é resultado de nossa ideologia e teoria; e influencia nossa estratégia.

Atentos à necessidade de consolidação e expansão do especifismo, nosso encontro faz parte do esforço histórico de alinhamento regional para fortalecer a coordenação nacional das lutas. Neste espírito, saudamos o Fórum do Anarquismo Organizado e outras organizações especifistas na batalha por construir a Coordenação Anarquista Brasileira (CAB), a ser fundada em junho deste ano.

LUTA, CRIAR, PODER POPULAR!

VIVA A ANARQUIA!

Assinam esta declaração:

– Coletivo Anarquista Núcleo Negro (NN) – Pernambuco

– Coletivo Anarquista Zumbi dos Palmares (CAZP) – Alagoas

– Coletivo Libertário Delmirense (COLIDE) – Alagoas

– Organização Resistência Libertária (ORL) – Ceará

Reunidos no II Encontro do Anarquismo Especifista do Nordeste

Recife – Pernambuco, nos dias 06, 07 e 08 de abril de 2012